Artesanato com arte e alma

Foi na procura de um workshop de feltragem aqui no Porto que conhecia a Ana.

Numa cidade onde já se começa a sentir a massificação do artesanato, é bom conhecer lojas que não são "mais do mesmo".

Comecemos pelo local - o Bairro da Sé - é um local improvável (infelizmente muito marcado pela droga) mas a prova que os espaços podem renascer para além da fama.
Se vierem ao Porto é um Bairro a não perder e nada de medos!

Quando entramos somos recebidos pelo sorriso da Ana e pelo espírito da loja Arte e Alma.



Por estes dias

Quem me segue por aqui notou que nos últimos meses a minha presença no blogue (e até nos vossos) diminuiu drasticamente.

Em Setembro do ano passado comecei a ter sintomas que afectaram muito a minha qualidade de vida - menstruações dolorosas (ao ponto de ficar de cama) sem resposta a medicação, fadiga, alterações intestinais.

Naturalmente pressenti que alguma coisa não estava bem e procurei ajuda na minha ginecologista. Exames, consultas e análises e estava tudo bem.

Aquilo não me fazia sentido. Os sintomas iam-se agravando e durante cada vez mais tempo ao ponto de apenas me sentir bem uma semana a cada ciclo.

Eu conhecia a endometriose pois uma amiga do mundo dos blogues sofre desta doença e partilha imensa informação - eu estava alerta.

Quando abordei o tema com a minha médica, não deu grande importância. Falou vagamente em medicamentos hormonais ou engravidar...sai daquela consulta frustrada, sem respostas e sem um diagnostico.

A uma médica conhecida, pedi uma referência de um especialista desta doença no Porto. Consultas só para Dezembro (isto pelo privado...). Estava fora de questão continuar neste sofrimento mais 9 meses.

Inconformada, cheguei a casa e pesquisei no google, endometriose em Portugal.e cheguei à clínica do Dr. António Setúbal em Lisboa. Liguei e consegui consulta para dai a um mês (final de Abril).

Paralelamente fui falando com a M sobre tudo isto e ela reconheceu o meu percurso....ela própria o tinha percorrido durante anos, sim, durante anos. E disse-me "Ana, tens de ir ao Dr. Hélder Ferreira, ele dá consultas no Porto na maternidade e no Hospital da Luz".

Pesquisei e liguei de imediato para o Hospital da Luz. Curiosamente a consulta foi marcada para o mesmo dia da de Lisboa. Paralelamente a médica de família fez o pedido de consulta para a Maternidade e desmarquei a consulta em Lisboa.

Dia 27 de Abril estava no Hospital da Luz para a consulta.
Quando entrei no gabinete tive à minha frente um médico que se preocupou em me ouvir e fez-me um milhão de perguntas.
Passei para o exame, senti a dor mais lancinante que alguma vez senti na minha vida, mas em menos de 1 minuto encontrou o problema. Pediu-me desculpa e só murmurou "como é possível não terem visto antes...como é que não havia de ter dores..."
Perguntou-me "não tem dores nas costas ou ciática? Está muito próximo do nervo ciático é possível que esteja a afectar"... de repente tudo fez sentido. Há anos que sofria de dores de costas e dores na perna direita sem que a minha hérnia discal o justificasse dado que é muito pequena.

Passou-me uma ressonância magnética pélvica e uma ecografia renal para avaliar a extensão da doença.
Despediu-se de mim com um beijo e disse-me "vai correr tudo bem, eu vou ajuda-la". Sai tranquila.

Felizmente o tumor da endometriose era único mas grande, mesmo ao lado do nervo ciático. Rins e bexiga sem problemas.
Dia 26 de Maio, na consulta para ver os exames, a cirurgia ficou marcada e faz hoje uma semana fui operada. Já estou em casa a recuperar bem, essencialmente a lidar com um cansaço extremo e órgãos desarrumados.
A cirurgia correu bem, mas o tumor era mais grave do que o exame mostrava. Estava bastante agarrado ao nervo, mas foi possível extrai-lo sem o danificar, o que me traria consequências mais graves se tivesse acontecido.

Esta intervenção visa dar-me qualidade de vida, mas a endometriose não tem cura. É uma doença que não coloca a vida em risco, mas é altamente castradora.

Pensei muito sobre se queria ou não falar sobre isto. No entanto, reflecti na importância que o testemunho de outras mulheres e que a partilha de informação teve na minha história feliz. Sim, ao longo do tempo vão perceber que eu tenho uma história feliz.

E decidi que a minha voz aqui no blogue se dedicará 2 vezes por mês a divulgar informação, testemunhos, dicas e pensamentos sobre esta doença.

Da minha experiência queria desde já alertar para dois factos

a) a família e amigos são muitas vezes os maiores desvalorizadores desta doença - "dores durante o período são normais, todas as mulheres têm!", reconhecem?

b) muitos médicos ginecologistas não estão minimamente sensíveis para a doença e os seus impactos na vida das mulheres. E não só, impacto na vida familiar, social e profissional.

Por isso

NUNCA desistam de procurar uma resposta quando sentem que algo não está bem.

NUNCA deixem que alguém diga que a vossa dor é pieguice ou psicológica.

Eu sou a Ana e tenho endometriose, mas não me vou render.

Voltarei em breve.

Ana

Sem sentido

...sem palavras, apenas orações para os que partiram e para os que choram.


Slow fashion


Esta semana estive no Simplfica a falar de pequenos gestos que nos podem ajudar a reduzir o impacto negativo sobre o ambiente quando compramos roupa.

Tesouros na caixa de costura da mãe

Quando visitava a mãe este fim de semana, levei comigo umas calças para apertar. 
Aproveitei o tempo aqui para descoser e alinhavar as pinças que servirão esse propósito.

Quando fui à caixa de costura encontrei verdadeiros tesouros :)

Uma colecção de tesouras (a grande é mais velha que eu :) ).


Dedais. Dificilmente consigo coser à mão sem eles. O segundo do lado esquerdo era da minha avó :)


E uma carteira de agulhas


Na embalagem não diz o ano


Para pelo estado de algumas das agulhas, diria que deve ter uns aninhos :)


Ana

Por estes dias

o mundo da tatas tem andado a meio gás...

muita coisa a aconteceu e finalmente ganhou nome...em breve falarei disso...

o ritmo não se alterará muito nos próximos tempos...à medida das vontades, das forças e do trabalho...

ainda assim tenho feito muita coisa...

passeado pelo meu Porto e conhecido novos locais


tenho tido novas perspectivas

Como fazer uma placa decorativa para quem não sabe desenhar

A minha placa da porta de entrada ainda dizia "Feliz Natal"...mas como o Natal é quando quisermos...;)

Naturalmente que não sabendo desenhar, tenho uma atracão por todos os outputs dessa arte...e foi quando me lembrei da velhinha técnica do decalque...testei e funcionou e deixo-vos hoje o passo-a-passo que poderão aplicar a inúmeros projectos.

Usei os seguintes materiais


Canto da costura - como escolher a máquina de costura?

Esta é uma das maiores dúvidas quando nos iniciamos na costura.

É um investimento com algum significado e por isso a decisão não é fácil.

Mas infelizmente não há respostas simples e directas. No entanto, a partilha da experiência ajuda sempre e isso que espero conseguir com este canto da costura.

Conto-vos a minha experiência e deixo-vos algumas dicas!


Como fazer pensinhos diários reutilizáveis

Olá meninas, que hoje o post é exclusivo :)

Já viram o primeiro post do Simplifica? Como prometido, cá está o tutorial de como podem fazer os vossos próprios pensinhos diários.