Por estes dias

Quem me segue por aqui notou que nos últimos meses a minha presença no blogue (e até nos vossos) diminuiu drasticamente.

Em Setembro do ano passado comecei a ter sintomas que afectaram muito a minha qualidade de vida - menstruações dolorosas (ao ponto de ficar de cama) sem resposta a medicação, fadiga, alterações intestinais.

Naturalmente pressenti que alguma coisa não estava bem e procurei ajuda na minha ginecologista. Exames, consultas e análises e estava tudo bem.

Aquilo não me fazia sentido. Os sintomas iam-se agravando e durante cada vez mais tempo ao ponto de apenas me sentir bem uma semana a cada ciclo.

Eu conhecia a endometriose pois uma amiga do mundo dos blogues sofre desta doença e partilha imensa informação - eu estava alerta.



Quando abordei o tema com a minha médica, não deu grande importância. Falou vagamente em medicamentos hormonais ou engravidar...sai daquela consulta frustrada, sem respostas e sem um diagnostico.

A uma médica conhecida, pedi uma referência de um especialista desta doença no Porto. Consultas só para Dezembro (isto pelo privado...). Estava fora de questão continuar neste sofrimento mais 9 meses.

Inconformada, cheguei a casa e pesquisei no google, endometriose em Portugal.e cheguei à clínica do Dr. António Setúbal em Lisboa. Liguei e consegui consulta para dai a um mês (final de Abril).

Paralelamente fui falando com a M sobre tudo isto e ela reconheceu o meu percurso....ela própria o tinha percorrido durante anos, sim, durante anos. E disse-me "Ana, tens de ir ao Dr. Hélder Ferreira, ele dá consultas no Porto na maternidade e no Hospital da Luz".

Pesquisei e liguei de imediato para o Hospital da Luz. Curiosamente a consulta foi marcada para o mesmo dia da de Lisboa. Paralelamente a médica de família fez o pedido de consulta para a Maternidade e desmarquei a consulta em Lisboa.

Dia 27 de Abril estava no Hospital da Luz para a consulta.
Quando entrei no gabinete tive à minha frente um médico que se preocupou em me ouvir e fez-me um milhão de perguntas.
Passei para o exame, senti a dor mais lancinante que alguma vez senti na minha vida, mas em menos de 1 minuto encontrou o problema. Pediu-me desculpa e só murmurou "como é possível não terem visto antes...como é que não havia de ter dores..."
Perguntou-me "não tem dores nas costas ou ciática? Está muito próximo do nervo ciático é possível que esteja a afectar"... de repente tudo fez sentido. Há anos que sofria de dores de costas e dores na perna direita sem que a minha hérnia discal o justificasse dado que é muito pequena.

Passou-me uma ressonância magnética pélvica e uma ecografia renal para avaliar a extensão da doença.
Despediu-se de mim com um beijo e disse-me "vai correr tudo bem, eu vou ajuda-la". Sai tranquila.

Felizmente o tumor da endometriose era único mas grande, mesmo ao lado do nervo ciático. Rins e bexiga sem problemas.
Dia 26 de Maio, na consulta para ver os exames, a cirurgia ficou marcada e faz hoje uma semana fui operada. Já estou em casa a recuperar bem, essencialmente a lidar com um cansaço extremo e órgãos desarrumados.
A cirurgia correu bem, mas o tumor era mais grave do que o exame mostrava. Estava bastante agarrado ao nervo, mas foi possível extrai-lo sem o danificar, o que me traria consequências mais graves se tivesse acontecido.

Esta intervenção visa dar-me qualidade de vida, mas a endometriose não tem cura. É uma doença que não coloca a vida em risco, mas é altamente castradora.

Pensei muito sobre se queria ou não falar sobre isto. No entanto, reflecti na importância que o testemunho de outras mulheres e que a partilha de informação teve na minha história feliz. Sim, ao longo do tempo vão perceber que eu tenho uma história feliz.

E decidi que a minha voz aqui no blogue se dedicará 2 vezes por mês a divulgar informação, testemunhos, dicas e pensamentos sobre esta doença.

Da minha experiência queria desde já alertar para dois factos

a) a família e amigos são muitas vezes os maiores desvalorizadores desta doença - "dores durante o período são normais, todas as mulheres têm!", reconhecem?

b) muitos médicos ginecologistas não estão minimamente sensíveis para a doença e os seus impactos na vida das mulheres. E não só, impacto na vida familiar, social e profissional.

Por isso

NUNCA desistam de procurar uma resposta quando sentem que algo não está bem.

NUNCA deixem que alguém diga que a vossa dor é pieguice ou psicológica.

Eu sou a Ana e tenho endometriose, mas não me vou render.

Voltarei em breve.

Ana

16 comentários:

  1. Boa recuperação!

    E sim, divulgar é importante! Pode significar o mundo para outra pessoa!

    Se a M. não falasse sobre esse assunto, talvez tivesses levado mais tempo a encontrar a solução para o que te afligia!

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pelo seu testemunho e obrigada por ser forte e ir em frente. Há mulheres que precisam de exemplos assim, lutadores e partilhadores. Não conhecia a doença mas ficarei atenta ao que escrever. E tenha força! Muita!!

    ResponderEliminar
  3. Ana, sei quevai correr bem e que recuperaste a tua bida. O teu testemunho é de importância bital
    Bem hajas.

    ResponderEliminar
  4. Sabes que senti o mesmo quando falei abertamente dos meus abortos (espontâneos)?
    São tantas as mulheres que passam por tal, e parecem todas ter medo e vergonha de falar...
    Os testemunhos são importantes.

    Vais recuperar rápido.
    XUAC

    ResponderEliminar
  5. Parabéns pela coragem. Obrigada pela partilha, pode ser útil a muitas mulheres.

    Já agora partilho um caso por que passei, pouco conhecido também pelos(as) ginecologistas: a mola hidatiforme. Resumindo, o ovo é fecundado, só que se desenvolve não um feto, mas sim um "amontoado" de células. O corpo naturalmente vai rejeitar esse amontoado, mas quando não se sabe o que é ... assusta. Disseram-me que é um tipo de cancro, mas benigno. Não tem procedimentos complicados, apenas uma raspagem do útero e rezar para não voltar a acontecer.

    Beijinhos e as melhoras, o tempo e o descanso fazem milagres.
    E comer muitos vegetais de folha verde.

    ResponderEliminar
  6. Votos de rápidas melhoras, a divulgação pode vir a ser útil para alguém, nunca é demais estarmos alerta.
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Ana, que horror! Estou sem palavras... não fazia ideia...
    Às vezes as pessoas afastam-se dos blogs, por excesso de trabalho, por falta de disposição, por razões várias que eu, por princípio, respeito evitando fazer perguntas...
    Neste teu caso, insólito, sofrido e triste acabo por ficar triste por ti. :( Porém, acredito e tenho a esperança de que o pior já passou. Fizeste muito bem em partilhar, em alertar, em divulgar, porque és uma vencedora, uma lutadora e uma pessoa corajosa que vai ficar bem, que vai melhorar rapidamente!
    Desconhecia a doença, mas vou ficar alerta sobre o que disseres...
    Um beijinho muito grande e um abraço apertado cheio de força! Obrigada pelo testemunho. :)

    ResponderEliminar
  8. Obrigada pela partilha!
    Desejos de rápida recuperação!
    Bjinhos
    Adelaide

    ResponderEliminar
  9. Muito importantes estas partilhas, Ana. Fundamentais, mesmo. Desejo-te uma rápida recuperação. Mesmo que não tenha cura, já sabes o que é (o que é um alívio) e poderás gerir. Beijinho.

    ResponderEliminar
  10. Olá minha querida.
    Quero agradecer te por este post, por está partilha tão intensa. E dar te os parabéns por a teres feito, afinal falar de nós e do que nos vai na alma e no corpo nem sempre é fácil.
    Não te vou dizer que não lamento por este teu problema, claro que lamento, claro que preferia que não tivesses de passar por nada disto. Mas é a tua realidade e fico feliz por saber que a aceitas e que estás a dar o teu melhor para conviveres com ela.
    És uma mulher linda e eu admiro te muito.
    Beijinho enorme

    ResponderEliminar
  11. Olá Ana, parabéns :)
    Parabéns pela tua exposição, a tua exposição que pode ajudar muitas pessoas, eu por acaso, já li um relato desta doença, e talvez seja o mesmo que te ajudou, não conhecia a doença e fiquei muito "assutada" pelo facto de os médicos não conseguirem ajudar, e agora vejo que o mesmo aconteceu contigo!! Lamento...
    Parabéns, porque és uma lutadora :) O pior já passou e vais recuperar, eu sei :)
    Muita força para a recuperação e tudo que isso envolve :) Beijinhos grandes e fica bem :)

    ResponderEliminar
  12. Obrigada pela tua coragem e pela tua partilha! Acredito que, deste modo, até ajudaste alguém!
    Desejo uma rápida recuperação.
    Beijinho grande

    ResponderEliminar
  13. Ana, admiro a coragem com que expôs a sua situação e desejo rápidas melhoras. Beijinho doce e carinhoso.

    ResponderEliminar
  14. Ana, eu sou do Porto, mas não troco os "bes" pelos "ves".
    Culpa do iPad.
    Desculpa.
    Beijo

    ResponderEliminar
  15. Olá minha querida Ana.
    Não sei como não vi este teu post, estou mesmo em choque, este ano também não tem sido nada fácil a situação da minha mãe, espero que acabe tudo bem por estes dias.Daí um pouco as minhas poucas publicações.
    Dou-te os parabéns pela tua persistência, partilha e a coragem da divulgação, eu própria não conhecia essa doença e nunca ouvi falar, vou pesquisar.
    Espero que tenhas uma boa recuperação e que embora a doença não tenha cura, que os sintomas sejam atenuados, para não teres sofrimento.
    Um beijinho muito grande cheio de carinho e muita força.

    ResponderEliminar

Deixem os vossos comentários, são sempre bem vindos! :)
Feel free to leave a comment, it will be appreciated :)